terça-feira, 31 de maio de 2011

Você tem medo de envelhecer?


Eu nunca trocaria meus amigos surpreendentes, minha vida maravilhosa, minha amada família por menos cabelo branco ou uma barriga mais lisa.  Enquanto fui envelhecendo, tornei-me mais amável para mim, e menos crítica de mim mesmo.  Eu me tornei meu próprio amigo ..  Eu não me censuro por comer biscoito extra, ou por não fazer a minha cama, ou para a compra de algo bobo que eu não precisava, como uma escultura de cimento, mas que parece tão “avant garde” no meu pátio.  

Eu tenho direito de ser desarrumada, de ser extravagante. Vi muitos amigos queridos deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o envelhecimento. Quem vai me censurar se resolvo ficar lendo ou jogar no computador até as quatro horas e dormir até meio-dia?  Eu dançarei ao som daqueles sucessos maravilhosos dos anos 60 &70, e se eu, ao mesmo tempo,  desejo de chorar por um amor perdido ...  

Eu vou.   Vou andar na praia em um maiô excessivamente esticado sobre um corpo decadente, e mergulhar nas ondas com abandono, se eu quiser, apesar dos olhares penalizados dos outros no jet set. Eles, também, vão envelhecer. Eu sei que eu sou às vezes esquecida.  Mas há mais, alguns coisas na vida que devem ser esquecidas. Eu me recordo das coisas importantes. 

Claro, ao longo dos anos meu coração foi quebrado.  Como não pode quebrar seu coração quando você perde um ente querido, ou quando uma criança sofre, ou mesmo quando algum amado animal de estimação é atropelado por um carro?  Mas corações partidos são os que nos dão força, compreensão e compaixão.  Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser imperfeito. 

Eu sou tão bençoada por ter vivido o suficiente para ter meus cabelos grisalhos, e ter os risos da juventude  gravados para sempre em sulcos profundos em meu rosto. Muitos nunca riram, muitos morreram antes de seus cabelos virarem prata.

Conforme você envelhece, é mais fácil ser positivo.  Você se preocupa menos com o que os outros pensam.  Eu não me questiono mais. Eu ganhei o direito de estar errado. Assim, para responder sua pergunta, eu gosto de ser velha.  Ele me libertou.  Eu gosto da pessoa que me tornei.  Eu não vou viver para sempre, mas enquanto eu ainda estou aqui, eu não vou perder tempo lamentando o que poderia ter sido, ou me preocupar com o que será.  E eu vou comer sobremesa todos os dias (se me apetecer).

Eu geralmente tenho horror a correntes, mas me mandaram essa por e-mail e por acaso eu li ao invéz de simplesmente deletar, como eu sempre faço. E adorei a mensagem! A gente vive se lamentando das coisas da vida, mas quando menos esperarmos, já estaremos velhos. Se conseguirmos ficar velhos, porque envelhecer é para quem merece. Não vamos levar a vida tão a sério! No fim, nós somos como flores, duramos tão pouco...

Tenham um bom dia!

Summer Wars

Acabei de assistir ao filme Summer Wars, e adorei!!


Achei muito legal, pois é uma aventura em que o destino do mundo está nas mãos de alguns garotos, mas não tem nada de super poderes nem universo alternativo, é no nosso mundo real como nós o conhecemos, algo que poderia realmente acontecer ^^

Um I.A. perdeu controle e está hackeando tudo em OZ, um mundo virtual tipo Second Life, desestabilizando tudo o que é interligado online no mundo real, causando muitos acidentes, muitas pessoas feridas e tal, e quem consegue derrotar esse I.A. chamado Love Machine é um garoto fera em matemática, outro garoto campeão mundial em lutas virtuais, e uma garota que joga MUITO bem um jogo de cartas japonês que eu esqueci o nome XD~ E o melhor: é apenas um filme curto! Nada de sagas infinitas! O filme é de 2009 e quase concorreu ao Oscar de animação, e os três volumes do mangá foram lançados pela JBC.


Aqui um resumo:

Temos aqui mais um daqueles protagonistas com nenhuma auto-estima, Kenji Koiso, que vive repetindo para si mesmo que nada do que ele faz dá certo; quando na realidade ele é um gênio com números, que por pouco não representou o Japão nas Olimpíadas de Matemática. Ele também realiza serviços de baixa dificuldade na manutenção do sistema OZ, uma espécie de Second Life que deu certo, onde praticamente todas as operações financeiras, legais, políticas e práticas do dia-a-dia são realizadas. Kenji é convidado pela garota mais popular da escola, Natsuki, para ajudá-la numa viagem, cujo objetivo ele desconhece. Lá, ele é apresentado à matriarca da família, Jinnouchi Sakae, como namorado e futuro noivo de Natsuki, e entra “de gaiato” na importantíssima reunião de família do clã dos Sakae.

Até aí temos uma comédia romântica padrão, com seus desentendimentos, reviravoltas e paixões platônicas que já estamos acostumados a ver; nenhuma surpresa. Mas a história cresce quando Kenji recebe o desafio de quebrar um código, sem saber que este é o código de segurança de OZ, abrindo caminho para um vírus chamado Love Machine engolir contas de usuários de todo o sistema, e bagunçar a vida dos cidadãos do Japão (e provavelmente do mundo, apesar do mangá não abordar outros lugares) ao enlouquecer sinais de trânsito, fazer chamadas de emergência para a polícia e os bombeiros, entre outros problemas, gerando caos por todo o país. Kenji é, claro, declarado suspeito, e a guerra contra a Love Machine começa.

Com esse background seria fácil criar mais um ‘Digimon’ genérico, e mostrar batalhas virtuais contra o vírus, e grandes explosões de poder, mas Summer Wars prefere uma abordagem mais relevante. Me parece que Summer Wars, na verdade, é um olhar sobre a família japonesa. A família de Natsuki é uma daquelas tradicionalíssimas famílias de samurais; muitos membros se orgulham de que, um dia, sua família defendeu o clã dos Takeda. Ao mesmo tempo, temos o garoto Kazuma, que não liga nem um pouco para a reunião ou a tradição, e se concentra em seu personagem/perfil em OZ, King Kazma. Existem as velhas rixas entre a “família principal” e a “segunda família”; o preconceito com o filho bastardo, remanescente de antigos costumes, mas que hoje parecem deslocados; todos elementos que culminam no que, para mim, é o grande tema de Summer Wars: o velho vs. o novo, a tradição vs. os novos costumes.


Quando a crise estoura em OZ, por exemplo, a solução achada pela matriarca, símbolo da tradição, mas, curiosamente, uma das mais tolerantes com os novos costumes, é apelar para o bom e velho telefone para entrar em contato com sua família, que penetrou em todas as áreas da vida japonesa, da polícia ao corpo médico (no entanto, me parece estranho que as linhas telefônicas nao sejam controladas por OZ). Ou seja: quando o virtual não funciona, a solução é o contato direto com as pessoas, ouvir a voz verdadeira do seu próximo, fazer o que muitos hoje deixaram de lado: o contato humano “real”.


Ao mesmo tempo, o garoto Kazuma demonstra uma certa mágoa com o orgulho que a família tem de seus membros proeminentes na sociedade, e parece querer que também se orgulhem dele, já que ele é o melhor do mundo nas lutas virtuais, que ele classifica como esporte.

FONTE

Tenham um bom dia!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Harry Potter chegando ao fim

A primeira vez que ouvi falar em Harry Potter foi na revista Veja, numa matéria falando sobre como os fãs fizeram filas quilométricas pra comprar Harry Potter 4 no dia do seu lançamento. Somente depois de uma notícia dessas é que resolveram tomar vergonha na cara e lançar os livros no Brasil. Como eles já estavam na lista dos 10 livros mais vendidos da Veja, eu pedi pra tia da bilioteca da minha escola comprar, e ela comprou mesmo! Quando chegou, li Harry Potter e a Pedra Filosofal bem rápido, tanto que emprestei pra outra amiga, que também leu bem rápido. Recomendei e viciei todas as minhas amigas nos livros. 

Modinha mesmo só virou depois dos filmes. Iniciou-se a modinha de Aventura Fantástica em livros e filmes. Bem, O Senhor dos Anéis já tinha sido lançado e estreado nos cinemas, mas Harry Potter deu abertura a vários outros títulos de aventura fantástica com tema adolescente. 

Passei minha adolescência lendo Harry Potter. O final decepcionou (a mim e a meio mundo) e no fim das contas nem tava mais tão legal assim, tanto que foi um alívio os livros terem acabado.

Depois de Crepúsculo, o que virou modinha é o tema vampiresco. Voltaram a lançar livros de vampiros de 20 anos atrás... Os (as) adolescentes só querem saber de Crepúsculo, na boa, ninguém nem lembra mais de Harry Potter XD~~  Eis que é um grande alívio também que agora a saga cinematográfica está acabando! Bem como a de Crepúsculo... ambos os últimos filmes das sagas saem este ano.

De Aventura Fantástica (Senhor dos Anéis, Harry Potter, Nárnia, Fronteiras do Universo, Percy Jackson, Artemis Fowl) pulamos para vampiros (Crepúsculo, Diários do Vampiro, True Blood...), eis que me pergunto qual será o próximo gênero modinha dos livros e do cinema.


Monster High

Devido à modinha recente de vampiros, lobisomens e monstros em geral, a Mattel veio com essa grande sacada que são as Monster High. Se antes a Bratz era ameaça, hoje ninguém mais nem lembra dela! Todas as onecas são articuladas, e os braços e mãos são destacáveis para facilitar vestir as roupinhas. Cada uma representa a filha de um mosntro famoso (geralmente dos filmes de terror dos anos 30).

Para dar suporte às vendas, tem ainda websódios de cerda de 1:30 minuto nos sites oficiais: Monster High US e Monster High BR.

Eis os personagens lançados até agora:
Frankie Stein
Draculaura
Clawdeen Wolf
Lagoona Blue
Cleo de Nile & Deuce Gorgon
Ghoulia Yelps
Holt Hyde
Dawn of the Dance
Dawn of the Dance
Gloom Beach
Gloom Beach
Tem gente que já tem todos os dolls...
Novos personagens lançados em 2011:
Spectra Vondergeist
Abbey Bominable
Minha preferida é a Draculaura, em seguida, a Frankie Stein. Pretendo comprar as duas semana que vem. Eu quero a Spectra quando lançar!!

Há também os livros, de autoria da Lisi Harrison, mas são muito diferentes dos websódios do site. Mas quem tiver curiosidade, os dois primeiros já foram lançados no Brasil, o terceiro, somente no fim do ano.
Monster High
Monster High 2 - O Monstro mora ao lado
Monster High 3 - Where there's a Wolf, there's a way
Tenham um bom dia!

domingo, 29 de maio de 2011

Video Game

Essa é a sina de quem tem mais de 20 anos e ainda gosta de video game...


Eu ri demais XD~

Tenham um bom dia!

Gato do Simon

Essa é pra quem gosta de gatos!

Simon é um cartunista que começou a observar as traquinagens do gato dele, e a desenhar tirinhas. Está fazendo o maior sucesso! Já tem livros, e até animações no youtube! Aqui o site oficial.



Podem ver mais videos no canal do Simon!

Tenham um bom dia!

Barbie Fashion Fever x Fashonistas: retrospectiva

A finada linha Fashion Fever já estava bem ruinzinha, perdeu a glória dos tempos passados e já estava decepcionando os colecionadores havia alguns anos já. Na minha opinião, as coleções Fashion Fevers mais legais foram a United Colors of Benetton:


E a coleção Fashion Fever Tokyo Style de 2004:

Tokyo Drew Fashion Fever – G8010 – Wave B
Tokyo Kayla Fashion Fever – Wave B
Tokyo Teresa Fashion Fever – Wave B
Tokyo Barbie Fashion Fever – G9008 – Wave B

Posso dizer que a decadência começou em 2007 quando a Mattel as lançou com o corpo "rã".

Comparação de corpos
Em 2008 voltou com o corpo Belly Button, com a novidade dos braços articulados que deixou muitos colecionadores felizes, já que possibilitava inúmeras poses e tal.

Fashion Fever 2008
Até que finalmente, em 2009, tivemos uma bela surpresa, a primeira coleção Fashionista! Desta vez, totalmente articulada, possibilitando mais de 100 poses, segundo a caixa.

Fashionistas 2009
Só que elas tinham o joelho feio, e quando posicionadas sentadas, ficavam com as pernas abertas... os joelhos tinham posições limitadas, só dobram para trás, e eram bem feios, principalmente vistos de trás... Eis que a Mattel trocou os joelhos pelo mesmo modelo usado nas pivotais collectibles, joelho com junção de bola, possibilitando mais poses, mais belos aos olhos, e também uma canela mais fina:

Fotos por /meanqueen119 do Flickr

A primeira coleção das Fashionistas foi relançada com os joelhos novos, e logo veio a segunda, desta vez com a presença do Ken:
Fashionistas 2010
Em seguida, mais uma inovação, as Swappin' Style, em que se pode trocar a cabeça da doll.

Fashionistas Swappin' Styles 2010
Primeira geração de cabeças
Fashionistas Swappin' Style 2011
Fashionistas in the Spotlight Wave 1
Fashionistas in the Spotlight Wave 2
Segunda geração de cabecas
Existem mais dolls fashionistas e mais cabeças, que vieram em packs, mas eu estou postando apenas as coleções principais.

No geral, as Fashionistas são muito requisitadas pelos colecionadores devido ao corpo articulado. Não sei se as crianças gostam... a afilhada da minha mãe de 8 anos me disse que não gostava pois as dolls ficam mais difíceis de "controlar" durante as brincadeiras, e que também era mais difícil de trocar a roupa. Eu pessaolmente imagino que essas articulações devem quebrar fácil nas mãos das crianças... (me refiro àquelas mais destruidoras mesmo) mas quem compra em peso essas dolls são os colecionadores mesmo, se a gente tá satisfeito, isso é o que importa!

Contudo... sinto falta da variedade étnica que tínhamos na linha Fashion Fever. As Fashionistas tem todas o MESMO mould face generation girl, com exceção da Artsy, claro; e também tem o mesmo tom de pele, menos a Artsy que é morena. Uma Fashionista pálida seria EXTREMAMENTE útil, pois a maioria das collectibles são pálidas, e tem MUITA gente querendo dar corpos pivotais para elas! Os fashions dessa linha são repetitivos, não aguento mais tanto rosa... quando querem variar, colocam roxo... a playline com as roupas mais legais são as S.I.S. e só.

Tenham um bom dia!

sábado, 28 de maio de 2011

Of Montreal

Of Montreal é uma banda bem bacana que um amigo me apresentou! Ele sempre acha essas coisas legais e vem mostrar pra gente! Segundo o wikipedia:

Membros da banda

Of Montreal (styled as of Montreal) is an indie pop/rock band from Athens, Georgia. It was founded by frontman Kevin Barnes in 1996, named after a failed romance with a woman "of Montreal." The band is one of the bands of the Elephant 6 collective. Throughout its existence Of Montreal's musical style has evolved from vaudeville and Beatles influenced psychedelic twee pop to a mixture of electronica, funk, glam, and afrobeat music influenced by Prince and David Bowie.

Acho muito legal as capas dos cds, são bem psicodélicas! E os clipes tem muita inspiração em Toy Art, que eu adoro!

False Priest 2010
The Controllersphere
The Gay Parade

Adoro as músicas deles, principalmente as mais recentes! Me lembra uma mistura de Franz ferdinand com David Bowie, ams acima estão listadas outras referências para a banda. A primeira música deles que ouvi foi Brush Brush Brush para o programa infantil Yo Gabba Gabba, com o objetivo de incentivar as crianças a escovar os dentes! Achei tão fofo!

video

Daí me interessei pela banda, vi outros clipes, baixei vários cds, e essas são minhas músicas favoritas do Of Montreal!





Tenham um bom dia!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

TOY ART: TokiDoki

 
Mais uma linda marca de Toy Arts, a TokiDoki! Eu só fui conhecer essa marca devido ao lançamento da Barbie TokiDoki este ano!

Barbie tokidoki 2011
Ela é linda né? Com certeza é meu tipo! Mas como já tenho muitas dolls de cabelo rosa, e muitas dolls de face mould Steffie, vou prourar somente pelo fashion depois! O preço de lançamento dela é U$ 79.99 na pré-venda para outubro 9quem quiser já vai juntando dinheiro).

A parceria também já foi feita com a Blythe:



Os personagens fofos da coleção são os Cactus Friends! Eu quero os gatinhos!



A grife também vende camisetas, bolsas e outros carecos! Vistem a página oficial! TokiDoki


Tenham um bom dia!